sábado, 22 de novembro de 2014

Resenha: As Ibyranas, Senhores da Terra – Eduardo Prota


Título: Senhores da Terra
Autor: Eduardo Prota
Ano de lançamento: 2014
Editora: Clube de Autores
Número de páginas: 318


Sinopse oficial:

Uma terra. Muitos corações. Assim são as Ibyranas, terras distantes colonizadas pelo Reino de Calus, que, imerso nos próprios problemas, as trata como uma posse e nada mais. Os ibyranos se veem constantemente assolados por fugas de negros de seus engenhos e ataques de tribos nativas às suas terras, tornando cada vez mais difícil a vida dos donatários, que, isolados e esquecidos, procuram resolver suas questões por conta própria. Porém, nem mesmo os senhores das capitanias, que defendem os interesses de Calus na região, poderiam prever que, naquela terra, havia muito mais do que política: os angás, antigas entidades que já habitavam as Ibyranas, não têm mais paciência com os abusos dos homens. Uma única fazenda é atacada e um donatário é capturado. Também sua filha e suas duas melhores amigas são levadas, e ninguém sabe ao certo quem foi o responsável ou o porquê. Cabe agora a alguns poucos amigos resgatá-los entre esses, um casal de escravos que conhece a terra como ninguém, um capataz misterioso, um menino imortal e até mesmo o próprio filho do Rei de Calus. Enveredando-se pelas Ibyranas, descobrem a real natureza daquela terra, que, de tão extensa, guarda mistérios inimagináveis. Alguns desses mistérios sorriem para eles e os chamam de amigos. Já outros têm seus próprios interesses e não sorriem para ninguém. . .

___________________­_____|||______________________

Esse ano tive o prazer de ser apresentada a mais uma obra nacional de fantasia. Há tempos esse é um dos meus gêneros favoritos – na verdade, acho que sempre foi – e tenho adorado conhecer ótimos autores nacionais desse gênero. Aproveitei que o Desafio Literário do Tigre de novembro nos pedia para Ler um livro de autor brasileiro e não perdi tempo!!

Bom, esse ano foi lançado o primeiro volume da série de dois livros, As Ibyranas. Logo que ouvi falar, fiquei curiosíssima para ler, pois tinha o diferencial de usar criaturas fantásticas muito pouco exploradas. Nesse livro, os seres sobrenaturais são os do nosso folclore!

Antes que eu me esqueça, hoje a música que coloquei para o post está entre as "top baranga" e mostra que tou ficando velha, mas não resisti! hahahahahahaha (Malz ae Du, :P)


Indo ao assunto então... eu sempre gostei do folclore brasileiro. É tão interessante quanto folclores e mitologias de qualquer outro lugar, mas como sempre, temos o costume de desvalorizar o que é nosso e dar um extremo valor ao que é do outro. Apesar de gostar e já ter lido um pouco a respeito de várias figuras folclóricas nas revistinhas do Chico Bento, diversas vezes parei a leitura de Senhores da Terra e fui para o computador conferir qual era aquela figura nova e da qual eu nunca tinha ouvido falar! Achei isso bem enriquecedor e agora conheço vários outros “personagens” da nossa cultura que, antes de ler As Ibyranas, eu não conhecia.

Um terrível saçurá e um saci

Além disso, o autor explora a época do Brasil colonial, que aqui passa a ser chamado de Ibyranas, que são as terras governadas por Calus. Dessa forma, são feitas muitas associações com a história verídica da nossa terra. Ainda que a licença poética esteja presente em muita coisa, então nem tudo seja fiel, foi bem bacana ver nossa história reinventada dessa forma.

Os personagens são tão bem construídos que é fácil se ligar a eles, seja gostando muito, ou querendo dar porrada neles torcendo para eles morrerem! :P

Capataz Andira, outro ótimo personagem, cheio de carisma

Mesmo os personagens secundários foram muito bem estruturados e têm uma personalidade bem formada. Aquele que me encantou de cara foi Avelino – preciso falar de novo que os idosos sempre são os que ganham meu coração?? Ele é sábio, humilde, bondoso e muito querido. Sabe aquele personagem que você queria que fosse real e que você pudesse conhecer? Esse é o Avelino. Helena também me encantou desde o Prólogo... quando descobri que ela jogava capoeira tão bem, foi a gota d’água para eu me apaixonar. Apesar de não ser muito explorada, achei a presença desse esporte na obra um charme a mais!

Minha querida - e linda - Helena!

A linguagem usada foi outro ponto interessante, pois foi adequada à época e à quem estava falando. Quando eram os escravos, foi utilizada uma linguagem menos refinada e bem característica – que ainda vemos hoje nas roças, no interior do Brasil. Já quando era a nobreza, a fala utilizada foi refinada e sofisticada. Achei que caiu muito bem e deixou a leitura mais interessante.

A cada hora a narrativa é focada em um grupo de personagens. Essa forma de narrar tem sido muito explorada e foi utilizada, inclusive, pelo nosso querido GRRM em As Crônicas de Gelo e Fogo. Isso dá um ritmo alucinante à leitura, pois o leitor está envolvido com a estória de um personagem, ou grupo, e de repente o capítulo muda para outro. Você fica querendo ler rápido para voltar ao que estava, mas se envolve completamente pelo novo capítulo, e assim vai até o fim!


Um digníssimo boitatá

Parece que estamos lendo a obra de um autor já experiente, de tão envolvente que é a leitura e de tão “madura” que é a escrita. Por várias vezes eu me perdi nos jogos políticos e, principalmente, nas criaturas fantásticas que apareciam. Se em seu primeiro livro Eduardo nos trouxe uma estória como essa, mal posso esperar pelos seus próximos lançamentos, incluindo aí o segundo volume de As Ibyranas, que deve ser lançado até o final do ano.

O único fator que pode dar uma desanimada é a obra demorar um pouco para engrenar – várias pessoas já falaram comigo que não gostam quando isso acontece e acabam parando a leitura no meio. Na verdade essa característica não é nenhuma novidade e acontece em quase todos os livros do gênero fantástico, pois somos ambientados ao local e aos personagens, antes da trama ganhar movimento. Acredito que seja necessário, mas pode desanimar algumas pessoas. O que eu digo é, não desanime! Vença esse início um pouco mais lento que não vai se arrepender! Prometo!



Ah, antes que eu me esqueça, todas as imagens que rechearam o post foram desenhadas pelo autor e são postadas na fanpage do livro, no facebook. Vale a pena dar uma olhada lá, pois enriquece bastante a leitura essa interação! Quem sabe na próxima publicação não teremos algumas imagens de presente?? Vou torcer por isso! Para adquirir a obra, basta entrar no site do Clube de Autores! Fantasy, Casa da Palavra e Novas Páginas, vocês estão perdendo um ótimo investimento aqui!

Bom, nem preciso falar que recomendo muitíssimo o livro né? O que estão esperando para ler?



Samy =)

27 comentários:

  1. Adoro resenhas sem spoiler hehehehe
    Fiquei muito curioso pra ler agora! :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tou virando expert, meu filho! hahahaha

      Excluir
  2. Achei interessante. Sinto falta de ler livros de fantasia brasileiros, com elementos do nosso folclore. Não conheço nada do gênero... Vou botar na lista!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa Marília, e esse vale a pena mesmo! Ficou bem bacana essa inserção do nosso folclore! Para mim foi o que deu mais charme ao livro! Pode colocar na lista sem medo! ;)

      Excluir
  3. Ola,
    Tudo bom? Meu nome é Raquel Machado e sou escritora do livro Vingança Mortal e te encontrei lá no blog Prefácio. Vi que se interessou pelo meu livro e gostaria de te convidar a conhecer um pouco mais sobre a história e aproveitar que estou com a parceria com blogs abertas, então se quiser saber mais pode enviar um e-mail para mim "raquel.machado2014@yahoo.com.br".
    Beijos
    Raquel Machado
    Escritora Vingança Mortal
    leiturakriativa.blogspot.com.br/p/vinganca-mortal.html

    ResponderExcluir
  4. Obrigado por tudo, Samara! e já to quase terminando o segundo aki! Abração, excelente post! :D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mal posso esperar pela continuação! Não acabe com meus nervos! hehehehehe ;)

      Excluir
  5. Oi, adorei a sua resenha. Ainda não conhecia o livro e fiquei bastante interessada. As imagens também ficaram ótimas na postagem. Gosto cada vez mais dos autores nacionais que estou conhecendo. Assim que der vou ler.

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu tbm tenho ficado muito feliz com os autores nacionais que tenho conhecido! Não sei se você conhece o Marcelo Paschoalin, mas os livros deles tbm são sensacionais!!

      Excluir
  6. Uma fantasia brasileira era o que eu tava procurando. Sua resenha me deu um up pra leitura!
    www.belapsicose.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leia mesmo Ana! E uma das protagonistas ainda é sua xará, a Anna Gabriella. Hehehehehe
      É um livro surpreendente! ;)

      Excluir
  7. Não sou muito fã de mitologia (de qualquer parte do planeta), mas algo nessa história me chamou bastante atenção. Parece ser bastante diferente das histórias de aventura estrangeiras, por exemplo. Parece mais fiel à nossa própria mitologia. Adorei a resenha, você soube expor todos os pontos importantes, além de dar a sua opinião. Parabéns!

    Love, Nina.
    http://ninaeuma.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Nina!
      Quem sabe esse não vai ser o livro que vai te fazer encantar por mitologia (ou pelo menos pela mitologia brasileira)? ;)
      Vou torcer para vc curtir o livro!!

      Beijos

      Excluir
  8. É a segunda vez, hoje, que digo o quanto estou feliz por ler um bom texto. O texto flui e a gente fica querenda saber mais e mais do livro. Parabéns!

    Bom, sobre a resenha: Parece, realmente, que é um bom livro. Explorar a mitologia nacional foi uma grande sacada do autor. Claro, a gente sabe que nada há intertextualidade com outras lendas. Mas devemos sim valorizar o que é nosso. Tornar transnacional.

    Beijos!

    http://www.osnosdarede.com/



    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é Nilda! Depois de ler Ibyranas eu até descobrir um outro autor que escreve sobre nosso folclore e fiquei curiosíssima para ler. Se não me engano ele se chama Felipe Castilho.
      Que bom que gostou da resenha! Fico contente! ;)

      Beijos

      Excluir
  9. Que história interessante! É fantástico que alguém explore a mitologia brasileira em um livro tão elogiado por você. E essa relação com o contexto histórico é ainda mais fascinante. Gosto muito disso em um livro. Sobre a demora para a leitura engrenar, é algo complicado, mas se você recebe uma indicação da obra, dá para se passar por cima tranquilamente, afinal, grandes autores também podem escrever trechos monótonos.

    Leitores Forever

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu gostei muito, viu? Achei muito bem escrito e envolvente. Me surpreendeu demais. Espero que você anime em ler! Vai valer a pena! ;)

      Excluir
  10. Nossa Samy parece ser interessante, livros nacionais bons são raros de se achar ainda mais sobre o folclore brasileiro, aqui na cidade tem um autor que escreve sobre mitos nativos do estado de MS, onde vivo atualmente, também é muito bom.
    Obs: Tu é rápida na leitura.
    Xoxo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que interessante! Não conheço quase nada sobre a cultura do MS. Depois posta o nome do autor, quem sabe encontramos para comprar por aqui ou pela internet??
      Eu tenho tido muita sorte em ler muitos nacionais excelentes! Não acho que estão inferiores aos gringos não e fiquei super feliz com isso! :D
      E sim, eu leio bem rápido! hueheuhueheuheu ;)

      Excluir
  11. Oii,tudo bem?
    Lendo sua resenha agora parei para pensar: fora aluns livros que li na escola não me lembro de nenhum que explore nossa mitologia. Bem interessante.
    Bjs

    http://a-libri.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é Angélica! Isso que achei sensacional nesse livro! Pq eu amo fantasia, mas nunca tinha lido um de fantasia, da nossa "casa"! Muito bom!

      Excluir
  12. Samy, fiquei encantada com a sua resenha, e como a Angélica disse, fora os livros da escola e em quadrinhos, nunca mais li nada sobre mitologia brasileira, e fiquei me perguntando o por que?
    Vou dar mais uma pesquisada nesses dois livros, e confesso que fiquei com vontade de compra-los.

    Beijos

    Débora Favoreto | Em cada página
    www.deborafavoreto.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou!!
      Compra sim Debora, não vai se arrepender! O segundo volume já foi lançado e em breve sai resenha dele aqui pra vcs! ;)
      Beijos

      Excluir
  13. Olá, Samy!
    Parabéns pela ótima resenha!
    Também sou fã de livros de fantasia, principalmente, quando o enredo está bem costurado com a realidade.
    E no caso desta série, pelo que percebo, o autor baseou-se em uma pesquisa histórica bastante densa. Pois, na época do Brasil Colônia, esta questão dos mitos era bastante presente.
    Adorei o fato do autor escrever e ilustrar a obra!

    Beijos!
    http://fabi-expressoes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim Fabiana. Pelo que ele me contou ele fez uma pesquisa histórica e folclórica bem extensa para escrever o livro! Creio que foi por isso que ficou tão bom!
      O fato dele ilustrar os personagens e cenas é um belo diferencial! Espero que ele comece a colocar algumas ilustrações nos próximos livros! :D

      Beijos!

      Excluir
  14. Olá!

    Nunca tinha ouvido falar desse livro, mas depois de ler sua resenha, fiquei muito curiosa para conhecer. Sou apaixonada por livros de fantasia, e por este livro retratar a nossa cultura e mesclar com parte da nossa história, já vale com certeza a leitura.

    Vou procurar adquirir a obra.

    Beijos
    http://coolturenews.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa Bruna, fantasia também é dos meus gêneros favoritos e esse livro me satisfez com louvor, viu?
      Pode ir lá no Clube de Autores sem medo de se arrepender! ;)
      Beijos

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...