terça-feira, 12 de agosto de 2014

Resenha: Quem Manda já Morreu – Marcos Rey


Título original: Quem Manda já Morreu
Autor: Marcos Rey
Ano de lançamento no Brasil: 1990
Editora: Ática
Número de páginas: 112


Sinopse oficial:

Por que tanta gente tentava impedir que Edu fizesse um trabalho para a faculdade sobre Tony Grand, se o bandido já estava morto? Era o que se perguntava. Mas nem seu tio Palha, um excêntrico detetive, parecia saber a resposta. Só que antes de matarem a charada, os dois começaram a receber ameaças de morte. Edu acompanha seu tio Palha na investigação de um esconderijo de traficantes para revelar a identidade do misterioso Boss.

___________________­_____|||______________________

Como disse na resenha de Sozinha no Mundo, sempre amei a Coleção Vagalume. Foi meu passaporte de entrada no mundo da leitura, de onde nunca saí. Por isso decidi fazer o Desafio Literário Vagalume. Quem Manda já Morreu foi dos que li na infância, mas por não me lembrar quase nada do enredo, aproveitei um dia que teria algumas horas de espera pela frente e peguei para ler – sabia que conseguiria ler no tempo que tinha, aproximadamente 3h.
Como é de se esperar de Marcos Rey, Quem Manda Já Morreu é um livro repleto de aventuras, perseguições, bandidos e garotos tentando desmascará-los.

Edu, estudante de comunicação, precisa fazer uma reportagem, sobre qualquer tema, como trabalho para a faculdade. Sem ideias, pede alguma indicação ao seu tio, um detetive particular não muito bem sucedido, mas bastante eficiente – se não eficiente, pelo menos corajoso sabemos que ele é. Tio Palha sugere então ao sobrinho, que escreva sobre a vida de Tony Grand, um perigosíssimo ex-traficante morto há algum tempo em briga de gangues. Dessa forma, as férias de Edu se tornam um pouco mais agitadas e, talvez, seu trabalho mais interessante que a classe supunha.

Após algumas entrevistas frustradas feitas por Edu – com ex-integrantes da quadrilha do traficante morto – coisas assustadoras começam a acontecer. Se esses entrevistados foram re-integrados à sociedade e a quadrilha totalmente esfacelada, quem está tentando impedir Edu de dar continuidade à sua inocente pesquisa? E por que? Levado pela curiosidade, e sem muito medo das consequências, Edu não se deixa intimidar e tenta ajudar, à todo custo, o tio na investigação que se segue.

O livro é narrado em primeira pessoa por Edu. Como todos os livros da Coleção Vagalume, é um livro simples, escrito para jovens leitores, com vocabulário bem tranquilo e linguagem mais informal, principalmente por ser narrado por um jovem. Os momentos de suspense não são de gelar o sangue, mas conseguem te prender fielmente à trama. A comédia fica por conta de tio Palha e sua secretária, ex-cantora latina, Coca Gimenez. Seus disfarces hilários dão um toque cômico à obra.

Para quem está começando a ler, é um livro mais que indicado. Já os leitores mais experientes, mas que são apaixonados pela Coleção Vagalume como eu, não percam essa chance nostálgica de retorno à infância!


Samy =)

3 comentários:

  1. Ai que saudade de quando eu lia esses livros.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Saudade demaaaaais!
      Por isso comecei c essa sessão nostalgia! hehehehe

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...