terça-feira, 30 de junho de 2015

Resenha: Americanah – Chimamanda Ngozi Adichie


Título: Americanah
Título Original: Americanah
Autora: Chimamanda Ngozi Adichie
Ano de lançamento: 2013
Ano de lançamento no Brasil: 2014
Editora: Companhia das Letras
Número de páginas: 516


Sinopse skoob:

Lagos, anos 1990. Enquanto Ifemelu e Obinze vivem o idílio do primeiro amor, a Nigéria enfrenta tempos sombrios sob um governo militar. Em busca de alternativas às universidades nacionais, paralisadas por sucessivas greves, a jovem Ifemelu muda-se para os Estados Unidos. Ao mesmo tempo que se destaca no meio acadêmico, ela se depara pela primeira vez com a questão racial e com as agruras da vida de imigrante, mulher e negra. Quinze anos mais tarde, Ifemelu é uma blogueira aclamada nos Estados Unidos, mas o tempo e o sucesso não atenuaram o apego à sua terra natal, tampouco anularam sua ligação com Obinze. Quando ela volta para a Nigéria, terá de encontrar seu lugar num país muito diferente do que deixou e na vida de seu companheiro de adolescência. Chimamanda Ngozi Adichie parte de uma história de amor para debater questões prementes e universais como imigração, preconceito racial e desigualdade de gênero.

 ___________________­_____|||______________________

Não é segredo para ninguém que eu gosto de livros de fantasia e policial. Gosto de espadas e machados, gosto de sangue voando. De soldados derrotando seus inimigos e – muitas vezes – sendo derrotados depois. Mas as vezes é importante, e gostoso, ler livros mais críveis e sem sangue, para refletir. Alguns autores são muito bons nisso e fico muito feliz em ter descoberto Chimamanda Ngozi Adichie. Chimamanda é uma nigeriana que escreve sobre a vida e cultura nigerianas, mas também escreve sobre o racismo, sobre o feminismo, sobre temas que precisam ser discutidos.

O primeiro livro dela que li foi a “transcrição” de uma palestra que ministrou no TED, Sejamos Todos Feministas (em breve sai resenha aqui no blog). Desde então eu queria muito ler outro livro da autora e o que achei disponível da Amazon foi Americanah. Acabei começando por ele mesmo, apesar de estar procurando Hibisco Roxo.

"Ifemelu havia lido muitos deles [romances] porque Blaine os recomendara, mas eram como algodão-doce, dissolvendo fácil na língua da memória."







Nas obras de Adichie, podemos entender um pouco os costumes nigerianos, embora esse não seja o foco de Americanah (parece que ela foca mais esse lado em Meio Sol Amarelo). Aqui ela dá um enfoque importante no racismo, que muitos insistem que já acabou. Que não há necessidade em se falar dele. Que se pararmos de falar nele, ele vai sumir como mágica. Nesse livro Chimamanda mostra o que muito negros passam nos Estados Unidos. Sejam os Negros Americanos, sejam os Negros Não Americanos.

Aí você pensa... “Bom, estamos no Brasil. Aqui é muito diferente dos EUA nessa questão do racismo. Não temos bairros de negros e nem a segregação racial vista lá.” Mas aí muita gente se engana, pois apesar de o Brasil ser um país de mestiços, uma mistura predominantemente de brancos, negros e índios, o racismo ainda é muito forte por aqui. E apesar de Americanah se passar nos EUA, Inglaterra e Nigéria, podemos – e devemos – usar muitas das colocações de Chimamanda para refletir sobre a nossa situação aqui.


Por exemplo, achei interessante ler Ifemelu passando por sua transição capilar, quando parou de alisar os cabelos afro e passou a usá-los naturais novamente. Eu passei a cuidar melhor dos cabelos atualmente e a maioria das meninas e meninos que participam do grupo ao qual participo no facebook são crespos ou cacheados voltando a usar seus cabelos naturais. Foi bem interessante ler as mesmas dicas que já li nos posts, no livro de Chimamanda. Como se ela realmente tivesse passado por aquilo e estivesse falando com conhecimento de causa – o que provavelmente aconteceu. É uma discussão muito interessante que envolve auto-aceitação e uma tentativa de fugir ao que é imposto pela sociedade.



 

Eu sei que li Americanah para o Desafio Literário do Skoob no mês Casais, uma vez que o romance entre Ifemelu e Obinze é muito relevante no livro, mas a obra é infinitamente mais que isso.

Devo dizer que o começo da leitura é um pouco demorada e eu custei um pouco a me envolver na trama e o livro prender a minha atenção de verdade. Mas quando você começa a mergulhar na vida dos protagonistas, você não quer mais parar, pois quase se sente parte da família deles.

Acompanhamos ora a vida de Ifemelu, ora a vida de Obinze. Vemos Ifem se encontrar, se perder, se encontrar novamente. Amadurecer, cometer erros, acertar. Se arrepender, mudar de ideia, se reorientar. Vemos Obinze flutuando, sem escolha, mas escolhendo mesmo assim, sonhando. Mudando, crescendo, percebendo e evoluindo. Sofrendo e amadurecendo.


Acompanhamos o agora e o ontem dos dois e não sei de qual momento gostei mais. Um lado nos fez ver o crescimento dos personagens. Suas conquistas e mazelas. Porque estão onde estão no agora. Quando virava para o outro tempo, víamos onde chegaram e o que estava acontecendo na vida deles e torcíamos para o que queríamos que acontecesse. Achei essa mudança temporal muito rica, e sempre queria saber o viria a seguir, em ambos os tempos.




Além dos dois, Ifemelu e Obinze, os personagens secundários são essenciais à obra e não estão ali só para ocupar lugar. Eles são bem construídos, bem estruturados e nos cativam. Tia Uju é uma personagem importante, cujo papel trás uma discussão relevante. Assim como Dike que me conquistou de cara.

A crítica social presente no livro é muito importante ser discutida e acho que cumpriu bem o que propôs. Só o fim me desagradou um pouco e destoou do resto do livro. Vi muitas resenhas falando que essa não é a melhor obra da autora, o que me deixou feliz, pois se essa já foi tão boa mal posso esperar pelas próximas! Recomendo a todos, é claro!



Samy =)

80 comentários:

  1. Olha eu nunca ouvi falar desse livro, mas eu tenho que dizer que sou contrária de você, pois não gosto muito de livros sanguinários não! hahahaha...Eu gosto lógico de um bom mistério policial e até de um romance, mas tudo que envolve coisa que nos choca eu não curto. Mas mesmo assim gostei da sua resenha. Me parece ser um livro bastante interessante, mas um livro que eu não pegaria para ler já que tu disse essas coisas =x
    Mas mesmo assim BOA DICA pra quem gosta.

    http://lovereadmybooks.blogspot.com.br/2015/06/resumo-do-mes-junho.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não Silvana, acho que você entendeu mal. Americanah não é desse estilo. É um romance mesmo que trata de alguns assuntos polêmicos e muito importante de serem discutidos! ;)

      Excluir
  2. Se essa não é a melhor obra da autora, imagina a melhor? ela é sensacional, sou admiradora do trabalho dela como palestrante, militante e escritora. Estou comprando todos os livros dela. <3
    Resenha adorável, amei vir aqui e ver essa indicação de livro, com um estilo que foge de esteriótipos. Muito obrigada por me dar um prazer de ler uma resenha tão linda! <3 <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada Lilian! Fico muito feliz em saber que você gostou da resenha!
      Eu também estou tentando comprar todos da autora, mas devagar pois são um pouco mais caros!

      Excluir
  3. Achei esse livro a minha cara. É o tipo de história que me atrai e no momento estou me apaixonando por livros de capa dura ou seja eu preciso desse livro! Urgente, como assim eu ainda nem conhecia essa autora?
    Beijos
    Ingrid

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ingrid, corre atrás do prejuízo e procura alguma obra da autora que não vai se arrepender! Sou fã dela! <3

      Excluir
  4. Que bom que você leu Chimamanda e gostou :D
    Preciso ler logo mais um livro dela.

    ResponderExcluir
  5. Oi Samy, nossa que livro interessante! Adorei o tema sobre a mudança de país e lidar com o preconceito como você falou exige um certo jogo de cintura. Já passei por alguns ignorantes dentro da minha própria família e que me deixaram muito chateada, mais passa e tudo se modificou. Agora é bom exigir respeito por que aqui tem lei e tem cadeia para esse tipo de gente que não mede o que diz. Graças a Deus! Gostei do livro e da resenha e já está nos meus desejados!
    Beijo
    Mila-Scraplivros

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa Mila, a situação é bem difícil mesmo. É incrível pensar que mesmo nos dias de hoje existe esse tipo de comportamento. Vamos esperar que as pessoas se conscientizem cada vez mais!
      Que bom que gostou! ;)

      Excluir
  6. Oi!!

    Adorei a resenha, com certeza vai entrar na minha lista de leitura.

    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Adorei a sua resenha, sou simplesmente apaixonada por livros que tratam desse assunto.
    Beijos.

    Diário de uma Bloggeira | Facebook

    ResponderExcluir
  8. Adorei a resenha!
    Tenho esse livro na minha lista de desejados há muito tempo e até hoje não consegui tê-lo em mãos. Do jeito que você falou, parece ser uma crítica social muito bem narrada, o que só me deixa com mais vontade de ler. Ainda esse ano, quem sabe?

    m3raki.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu achei muito bom para refletir sobre nosso próprio comportamento Fernanda. Coisas pequenas que fazemos podem afetar o outro de forma muito desagradável.
      Tomara que consiga ler logo! ;)

      Excluir
  9. Olaaa
    Morro de curiosidade por esse livro desde que foi lançado pois tras um tema e enredo muito interessante, adorei a resenha e a dica.

    Reality of Books

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aproveitei uma promoção e também satisfiz minha curiosidade! Aproveite quando tiver outra! ;)

      Excluir
  10. Oii!

    Não conhecia o livro, mas parece ser bem interessante a história então vou anotar a dica!
    Parabéns pela resenha :)

    Beijos, Amanda ^^
    www.vicio-de-leitura.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tomara que aproveite muito a leitura Amanda! ;)

      Excluir
  11. Oie!

    Gostei da temática do livro, e confesso que não o conhecia. Adorei a resenha, mas acredito que não será um livro que lerei tão cedo rsrs Tenho outras prioridades.

    Sobre gostar de livros sanguinários, eu tb gosto, mas não leio com muita frequência :D

    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É, sempre temos uma "listinha" infindável né? Mas coloquei na lista sim, ele vale a pena! ;)

      Excluir
  12. Ola Samy muito interessante o tema abordado pela autora, falar sobre o racismo, e pode não parecer mas acredito que muitos ainda sofram com isso, o que é uma vergonha. Fiquei feliz em ler sobre os cabelos da autora e como as seguidora a imitaram, valorizando suas origens. Dica anotada. beijos

    Joyce
    www.livrosencantos.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muitos sofrem mesmo Joyce! Recentemente pudemos ver o ataque à Maju Coutinho em uma foto postada no facebook do JN. Pensa, como pode isso em pleno séc XXI????
      Essa parte do cabelo achei incrível! Por mais e mais pessoas assumindo seus lindos cachos e crespos! <3

      Excluir
  13. Segunda resenha que leio sobre esse livro, e sua resenha só aumentou o meu interesse, quero muito ler esse livro!!! Essa tematica chama a atenção!!!
    Gostei demais da sua resenha!!!
    Beijos!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Aline!
      Leia mesmo! Ele é de utilidade pública para os energúmenos que não conseguem deixar de ser racistas!
      Espero que goste muito da leitura!!

      Excluir
  14. Oi Samy, tudo bem?

    Não conhecia a autora, mas fiquei bastante interessada na história desse livro, sem falar dessa capa que está incrível. Acho o racismo um tema sempre importante de se abordar, embora não tenha tantos livros sobre isso. E se engana quem pensa que não tem racismo no Brasil, uma prova disso foi agora, os comentários preconceituosos envolvendo a Maju Coutinho... infelizmente, isso é uma realidade em todos lugares.

    Gostei da mensagem de auto-aceitação e sobre o preconceito presente no livro. Os personagens também parecem ser bem construídos, o que é sempre ótimo.

    Beijinhos,

    Rafaella Lima // Vamos Falar de Livros?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente Rafaella! Não entendo como pessoas falam que não existe racismo no Brasil com uma exibição pública dessas! Se isso não é racismo, não quero nem imaginar o que seria, para essas pessoas que negam a sua existência!
      Estou doida para mais livros da Chimamanda! <3

      Excluir
  15. Não conhecia, mas achei muito interessante este lance da questão social, preconceito é um assunto sério, muito mascarado no dia a dia.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito mascarado, mas muitas vezes a máscara cai, né Rose? Infelizmente um assunto muito presente e que precisa ser debatido!

      Excluir
  16. Realmente um livro que merece ser conhecido, a gente deve abrir brecha nas nossas listas de leitura para alguns títulos assim, que tratem de questões sociais tão presentes no dia a dia. Gostei bastante.

    luadeneon.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estou tentando fazer mais isso Vanessa! As vezes ainda deixo uns de lado, mas sempre vale a pena, quando abrimos nossa cabeça e nosso coração para essas obras! <3

      Excluir
  17. Samy, vou leu Chimamanda?! Tem um bom tempo que quero ler as obras dela. Essa mulher é inspiradora. Você pontou aspectos importantes, que me deixou muito instigada. E olha que você fala que nem gostou tanto assim do final. Eu espero poder ler o quanto antes.

    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que você vai amar Nilda! Chimamanda é uma autora que todos deveriam ler!
      E também acho que todos deveriam assistir às suas palestras do TED. Cada vez que ela fala fico mais impressionada com seu discernimento! Sou fã dela!
      Beijos!

      Excluir
  18. Olá,
    Nunca vi esse livro mas fiquei bem curioso com ele. Acho que vou até adicionar no skoob. Parabéns pela resenha.
    Abraços,
    Matheus

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tomara que anime ler Matheus! Acho uma leitura e uma discussão importantíssimas!

      Excluir
  19. Romance é sempre bom e quando trata de assuntos polêmicos é melhor ainda.
    Nunca tinha ouvido falar do livro ou da autora, mas daria uma chance facilmente.

    Lisossomos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Te sugiro procurar saber sobre a autora. Ela é uma pessoa ímpar! Espero que goste das obras dela! ;)

      Excluir
  20. Olá! Tudo bem?

    Nossa, eu amo livros que abordam racismo, feminismo e que façam quaisquer críticas sociais.

    Ainda não havia ouvido falar desse livro e fiquei muito interessada nele!

    Não sei se leria, mas, fiquei bem curiosa. Vai pra lista de "talvez"

    Beijos e até! :*

    www.dreamsandbooks.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se você gosta do tema, não perca tempo! A escrita da autora é muito madura e envolvente! ;)

      Excluir
  21. Olá!
    Esse livro é maravilhoso! Incrivel! Aborda temas tão fortes e sua resenha está maravilhosa!
    Eu leria com toda a certeza!
    Beijos
    cheireiumlivro.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Luana! Tomara que o livro corresponda às suas expectativas! Ele é realmente maravilhoso! <3

      Excluir
  22. Oie, tudo bom?
    Não conhecia a autora, mas pelo visto ela tem uma escrita incrível. Eu conhecia o livro pela capa, mas não sabia qual era a premissa. Gosto de narrativas que possuem essa crítica social, ainda mais por falar de preconceito racial também, algo que sempre volta reaparece na nossa sociedade.
    Beijos,
    http://livrosyviagens.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu tive um contato breve com a autora antes desse, mas já sabia que podia esperar coisa boa! E não me decepcionei mesmo! As críticas dela são bem construídas e bem embasadas.

      Excluir
  23. oiie
    Que horror vc gostar de ver sangue voando kkkkkkkkkkkkk
    Eu não conhecia o livro, mas achei legal.
    Também gostei dessa parte de assumiu os cachos e parou de alisar o cabelo.
    Eu acho que amaria ler o livro.
    Adorei a resenha, muito bem escrita.
    Beijos

    http://colecoes-literarias.blogspot.com/2015/07/caixa-do-correio-junho-9-2015.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahahahahahaha
      Pois é, pior que gosto viu!
      Mas também gosto de livros mais leves e outros que nos trazem aprendizados e motivo para refletir e esse foi um desses!
      Tomara que você goste! ;)

      Excluir
  24. Olá!
    Não conhecia o livro, mas achei bem interessante os pontos que ele aborda, porque normalmente não falamos sobre isso, fingimos que não existe e pronto. Acho que leria sim, Americanah, seria algo enriquecedor!
    Beijos

    LuMartinho | Face

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Foi bem enriquecedor mesmo Lu! Espero que você também faça bom proveito da leitura!

      Excluir
  25. Excelente resenha. Já conhecia o livro e o tenho adicionado à minha enorme lista. Assim como você, acredito que o racismo ainda perdura no nosso país e, francamente, é uma pena que haja quem acredite no contrário. Isso, para mim, só revela o quanto as pessoas não veem a realidade nua e crua, mas a fantasiam com suas próprias ideologias. Eu moro no sul, onde há muitas famílias de origem europeia. Há muito preconceito. Formei-me em uma faculdade onde só vi um estudante negro, que – como eu – era bolsista. Ele cursava medicina, no entanto, e um dia o professor que adentrou na sala era negro. Todos os alunos, com exceção dele (que já era discriminado) se levantaram e saíram. Uma faculdade de renome, com um dos melhores cursos de medicina da região, aceitar esse tipo de atitude excludente é o cúmulo! Se os estudantes tratavam a um professor negro, que hipoteticamente estaria exercendo um papel de autoridade, quiçá o que farão com seus pacientes. Os condomínios fechados na minha cidade estão cada vez mais comuns, sabe? Houve, recentemente, uma mãe que deu uma entrevista dizendo-se arrependida por ter ido com sua família para um desses condomínios. Ela queria mais segurança para seu filho, de cinco anos, mas se viu em uma situação complicada quando o menino perguntou: "Mãe, onde os negros dormem?". Não havia negros no condomínio. O menino estava crescendo sem nunca ter convivido com um negro. Como um menino assim olhará para um negro com naturalidade? Gente, precisamos garantir os direitos dessa população. Eles precisam estar onde estamos. Enfim, desculpe o desabafo, mas lendo sua resenha percebo que há SIM uma gritante necessidade de obras desse tipo.

    Beijos!
    http://www.myqueenside.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Francine, estou chocada com a história que você contou! O racismo que eu vejo mais próximo a mim é, principalmente, atos que as pessoas acham que não é racismo, além de "brincadeiras" que são extremamente racistas mas as pessoas insistem em dizer que é apenas humor. Um situação como essa que você narrou eu nunca vivi e fico extremamente triste por saber que ainda hoje, em pleno séc XXI, com toda a informação, com a tecnologia que alcançamos, isso ainda acontece. Eu tento ao máximo tirar de mim tudo que aprendi durante a vida e que acaba sendo, mesmo que em uma escala mais baixa, uma forma de racismo (um pequeno exemplo é chamar cabelo crespo de ruim). Acho que as discussões são extremamente necessárias e gosto muito de ter essa oportunidade com o blog!
      Muito obrigada pelo seu comentário/desabafo!

      Beijos!

      Excluir
  26. Não curto muito o tipo de leitura, apesar de achar interessante, gosto de histórias mais ficcionais e tal. Mas não digo que nunca leria a obra, pois me parece uma leitura incrível, e quem sabe mais adiante não leia?
    beijos
    www.apenasumvicio.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa é totalmente ficcional Dessa (apesar de suas inspirações reais), mas acho que entendi o que você quis dizer!
      Tente sair da zona de conforto e tentar esse. Quem sabe não vai abrir um novo espaço aí né? ;)

      Excluir
  27. Olá, gostei da resenha, ainda não li nada da autora, mas pelas resenhas de suas obras em blogs, já quero ler. Achei Americanah bem interessante.
    (Também estou participando do Desafio.)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leia sim Mari! Não vai se decepcionar! :)

      Excluir
  28. Olá, eu tenho um marcador desse livro que ganhei em um evento, mas ainda não tinha lido nenhuma resenha sobre ele. Eu sempre me interesso por autores de lugares diferentes, pois eles sempre trazem uma perspectiva diferente em suas histórias e acho que isso fica bem claro na sua resenha. Gostei muito de conhecer a obra e espero ler alguma coisa da autora em breve. Bjs

    Território nº 6

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Agora você me fez passar vontade!!!! Quero um marcador de Americanah! Eu adorei saber mais sobre a Nigéria! Espero que você também aproveite as obras da autora! :)

      Excluir
  29. oi ^^ tbm sou dessas pessoas que gosta de livros de fantasias, livros que envolvam machados e espadas (essas coisas todas), mas fiquei interessada nessa leitura.
    não posso imaginar como foi para ela se deparar com o preconceito e tudo de ruim q isso pode acarretar. as vezes a gente precisa ler esse livro de coisa.
    gostei da resenha, foi a primeira q eu li sobre esse livro.
    Seguindo o Coelho Branco

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é Alice. É muito triste pensar em pessoas julgando a outra apenas pela cor da pele. Como se isso determinasse qualquer outra característica da pessoa, previamente. As vezes precisamos dar uma pausa nos machados e arcos né?

      Excluir
  30. Também conheci a autora lendo Sejamos Todos Feministas e amei demais o discurso dela, as ideias e soluções que ela propõe... Uma mulher de fibra, inteligente e interessada. Quero MUITO ler Americanah, sua resenha me deixou bem empolgada. E sim, se você gostou tanto e não é o melhor livro dela, imagina quando você ler o melhor...
    Beijos!!
    http://umaleitoravoraz.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mal posso esperar para ler Hibisco Roxo Gabrielly! Recebi ótimas indicações dele! Estou bem empolgada também! :D
      Beijos!

      Excluir
  31. Olá!
    Não conhecia esse livro, nem a autora.
    Apesar de não fazer parte do meu gênero literário favorito, acho que esse livro gera uma discussão bem interessante e merece ser lido.
    A única coisa que me deixa com o pé atrás é você ter dito que foi uma leitura demorada, até você conseguir mergulhar nele de vez...
    Espero ler e gostar.
    Adorei a resenha!
    Beijos!

    www.livrosdajess.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É, o início foi um pouco lento, mas pode ser porque eu tinha acabado de sair de um thriller eletrizante! Então o ritmo caiu e senti um pouco. Mas o livro prende legal e traz uma discussão sensacional! ;)

      Excluir
  32. Olá, tudo bem? Que resenha perfeita. Que livro perfeito. Eu NUNCA havia ouvido falar nesse livro e estou com vergonha disso, até porque adoro livros com críticas sociais.
    Na parte que você diz sobre o racismo no Brasil, eu concordo plenamente com você. Aqui o racismo é mais escondido, é até banal. Eu sou negra e moro no Rio Grande do Sul. Uma vez na aula de um curso técnico que eu fiz, uma colega, na aula de fundamentos socioculturais, disse que racismo não existia mais. Eu fiquei fula da vida. Claro que essa colega era branca. Claro que ela não tinha amigos negro. Aqui no sul, acho esse comportamento comum, ridículo, mas comum. Com maior parte da população gaúcha sendo branca (nós negros somos 5% e os pardos são 10%), acredita-se que não há mais racismo aqui. Ou melhor, eles acreditam. Pois, eu mesma já vivenciei isso na pele. É um "racismo embutido" que temos aqui, ninguém percebe, mas há.
    Desculpa, eu me prolonguei muito no assunto racismo, mas assuntos assim sempre mexem comigo. Anotei esse livro na minha lista. Obrigada.
    Super beijos <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu gostaria que isso acontecesse, mas não imaginei que o post traria uma discussão tão rica! Além de você, outras pessoas contaram suas experiências e eu achei incrível. Claro que são histórias que gostaríamos que não existissem, mas como existem, acho muito importante apontar, mostrar que SIM, o racismo está muito presente nas nossas vidas e temos que fazer algo para mudar, começando com nosso próprio comportamento. Muitas vezes é algo que temos como normal, pois foi normalizado pela sociedade, mas precisamos "reaprender" e tirar esse comportamento de nós. O mesmo vale para o sexismo. Acho essas discussões muito importantes e ter a chance de conversar sobre isso é uma das coisas que mais gosto no blog!

      Beijos moça!

      Excluir
  33. Oi Samy, tudo bem?
    Não conhecia o livro, mas confesso que não colocarei ele na lista de desejos.
    Apesar disso gostei do fato dos personagens secundários serem bem construídos, acho essescial.
    bjs

    A. Libri

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso faz uma boa diferença mesmo, Angélica! :)

      Excluir
  34. Oie!!
    Nunca tinha ouvido falar da autora nem dos livros mas adorei a história.
    Esse parece ser um daqueles livros que nos fazem refletir se as vezes não somos preconceituosos sem saber ou sem querer.
    Adorei, com certeza vou procurar pra ler.
    Parabéns pelo post.
    *--*

    www.saladadelivros.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente! As vezes fazemos coisas que são tão "normais" mas tem tanto preconceito embutido que machuca que sofre deles. Temos que rever nossas ações e refletir a respeito! :)

      Excluir
  35. Oi
    Gente não sou muito fa desse gênero não,apesar de ser um coisa pra refletir se você é ou não é preconceituosa sem perceber, não sei se daria uma chance para a história não.
    Beijos e Adorei o Blog
    Https://bibliotecadesajeitada.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada! :)
      Caso algum dia queira sair da zona de conforto, super indico o livro! ;)

      Excluir
  36. Olá! Gostei bastante da sua resenha
    Assim como você também amo livros de sangue kkkkk. Mas assim como você amo esses gêneros de temas central polêmicos e que nos faz refletir sobre algo. principalmente racismo e preconceito. Algo que infelizmente em todos os lugares tem :/
    Não conhecia a obra e nem as outras obras da autora. Mas mesmo assim, fiquei curiosa.
    Beijos, sucesso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Precisamos diversificar nossas leituras né Iris? Espero que tenha a oportunidade de conhecer as obras da autora, pois valem a pena! ;)

      Excluir
  37. Eu gostei pra caramba dessa capa, sério, me remeteu realmente a época do livro se trata. Te confesso que o titulo, junto com as cores, não me convenceria de comprar o livro, eu não curto muito o patriotismo dos E.U.A tanto assim, mas pela sua resenha, parece trazer outro aspecto. Achei os temas abordados muito bem elaborados, apesar de clichê, pois autores que se arriscam nesse tipo sempre inovam no contexto. Fora que adoro ler livros com temas polêmicos, traz uma curiosidade maior. Não conhecia a obra, mas depois da sua resenha, talvez eu leia. :D

    http://teoremasdamimosa.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É exatamente o oposto Luanna! Tudo bem que mostra um pouco os nigerianos "cultuando" demais os EUA, mas acho que mais por uma idealização que qualquer outra coisa.
      Torço para que você anime ler! ;)

      Excluir
  38. Oi, flor!
    Primeira vez que leio resenha desse livro, devo dizer que me impressionou e aguçou minha curiosidade. A forma como você falou do racismo eu acredito que no livro isso seja bem mais impactante, não é todo dia que lemos algo relacionado algo mas concreto.
    Vou anotar a dica de leitura!
    Parabéns pela resenha!
    Obrigada pela dica!
    Beijocas da Deebs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Deebs!
      Eu achei muito bem trabalhada a forma que a autora abordou o assunto. Muito bem construída! Espero que você goste! :)

      Excluir
  39. Oii
    Eu não conhecia o livro, mas achei muito interessante a premissa e a capa. Porém, não me interessei em lê-lo de imediato. Mas mesmo assim anotei a sua dica.

    beijos
    Mayara
    Livros & Tal

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Talvez algum dia a vontade apareça! Deixa aí anotadinho! ;)

      Excluir
  40. Oii, tudo bem?
    Eu já conhecia Sejamos todos Feministas, ainda não li, apenas resenhas, e achei muito interessante. E esse não fica atrás, me interessei muito, por tratar de um tema como este, o racismo, o quanto os negros sofrem. E por mais que digam que o racismo acabou, cada dia tenho certeza que ainda existe muito, porque sempre estamos escutando casos de racismo, isso é triste.

    Beijos da Jéss ♥
    Brilliant Diamond | Fan Page

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É Jess. Quem diz que o racismo acabou, além de não ter um pingo de visão, não tem empatia. Porque é impossível não perceber os tantos casos que vemos por aí.
      Ambas as obras da autora valem muito a pena! Quero mais, logo!
      Beijos

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...